Justiça condena a 24 anos de prisão homem que raptou e matou menina Débora Lohany em Fortaleza

Walderir foi condenado pelo homicídio triplamente qualificado, além de sequestro, com grave sofrimento físico ou moral à vítima, e ocultação do cadáver de Débora Lohany

Justiça condena a 24 anos de prisão homem que raptou e matou menina Débora Lohany em Fortaleza
Justiça condena a 24 anos de prisão homem que raptou e matou menina Débora Lohany em Fortaleza

Walderir foi condenado pelo homicídio triplamente qualificado, além de sequestro, com grave sofrimento físico ou moral à vítima, e ocultação do cadáver de Débora Lohany

O réu Walderir Batista dos Santos foi condenado a 24 anos e três meses de prisão pelo Conselho de Sentença do 5º Tribunal do Júri da Comarca de Fortaleza. Ele foi julgado pelo

sequestro, morte e ocultação do cadáver da menina Débora Lohany de Oliveira , em 2017, quando a vítima tinha apenas quatro anos de idade.

O julgamento se prolongou por cerca de 12 horas, terminando às 22h45 da sexta-feira (26), no Fórum Clóvis Beviláqua. Por maioria de votos, os jurados condenaram o réu por homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, meio cruel e uso de recurso que impossibilitou a defesa da vítima), além de sequestro, com grave sofrimento físico ou moral à vítima, e ocultação de cadáver.

A defesa pediu a absolvição do acusado, alegando ausência de provas, tese que foi rejeitada pelo Conselho de Sentença.

O julgamento teve início com o depoimento de seis testemunhas, sendo quatro delegados da Polícia Civil que estiveram à frente das investigações, a mãe da vítima e outra testemunha que morava no bairro.

Em seguida, foi feito o interrogatório do réu. Por volta das 16h30, teve início o debate entre acusação e defesa, seguidos pela votação dos jurados e, às 22h40, foi proferida a sentença.

A sessão foi presidida pelo juiz auxiliar privativo da 5ª Vara do Júri de Fortaleza, Raimundo Lucena Neto. O magistrado manteve a prisão do réu e determinou ainda que este não poderá recorrer em liberdade. Com informações do Tribunal de Justiça do Ceará.

Por: Tribuna do Ceara